Creation Science News


Há 40 mil anos: neandertais seriam primeiros artistas rupestres
15/06/2012, 5:18 PM
Filed under: :::::: PUBLICAÇÕES: A - Z ::::::

Os neandertais podem ter sido os primeiros artistas das pinturas rupestres, indicou nesta quinta-feira um estudo que detalha um novo método de análise de pinturas em cavernas na Espanha e mostra que elas podem ser as mais antigas já realizadas pelo homem.

Os testes foram feitos com 50 pinturas em 11 cavernas no norte da Espanha, como descrito na revista científica americana Science, e revelam um talento que pode ter sido explorado pelo neandertal há mais de 40 mil anos.

É a primeira vez que evidências de que os neandertais produziram arte rupestre são descobertas, mas já se sabia que eles enterravam os mortos, usavam técnicas decorativas primitivas e faziam enfeites a partir de ossos, explicaram os especialistas. [Leia mais aqui e aqui]

“Assim, não é surpreendente que o neandertal seja o primeiro pintor rupestre da Europa,” afirmou o coautor do estudo, o arqueólogo português João Zilhão, pesquisador da Universidade de Barcelona. As imagens analisadas incluem discos vermelhos e o contorno de uma mão, feito com aplicação de tinta na mão e colocação sobre a parede da caverna.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma das figuras na caverna de El Castillo data de mais de 40,8 mil anos atrás, o que faz dela a arte rupestre mais antiga da Europa, segundo a equipe de pesquisadores.

Enquanto ainda não se comprova se as descobertas na Espanha são realmente obra dos neandertais, outras possibilidades são estudadas, como a teoria de que elas teriam sido realizadas com a chegada do homem moderno à Europa, cuja evidência mais antiga data de 41,5 mil anos atrás. O neandertal desapareceu da Terra há mais de 40 mil anos.

Terra

Referência:

1. A. W. G. Pike, D. L. Hoffmann, M. García-Diez, P. B. Pettitt, J. Alcolea, R. De Balbín, C. González-Sainz, C. de las Heras, J. A. Lasheras, R. Montes, and J. Zilhão “U-Series Dating of Paleolithic Art in 11 Caves in Spain”  (Science, 15 June 2012: 1409-1413 DOI: 10.1126/science.1219957)


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: