Creation Science News


No Brasil: Michael Behe e os limites da evolução
03/11/2012, 5:49 PM
Filed under: :::::: PUBLICAÇÕES: A - Z ::::::

.



DNA pode ter surgido antes do primeiro ser vivo
03/11/2012, 5:14 PM
Filed under: :::::: PUBLICAÇÕES: A - Z ::::::

Altamente complexo, o DNA é um dos pilares que sustentam a vida como a conhecemos hoje. Apesar disso, acredita-se que os primeiros seres vivos não se desenvolveram a partir do DNA, mas de uma molécula mais simples, o RNA, também capaz de armazenar informações genéticas.

Ainda assim, o próprio surgimento do RNA no caótico ambiente da Terra primitiva permanece um mistério para a ciência. Em 2009, depois de muitas tentativas (e com base em décadas de pesquisa), cientistas foram capazes de gerar (em parte) RNA usando elementos químicos que possivelmente existiam nos primórdios da vida em nosso planeta. O químico Matthew Powner, hoje ligado à Universidade College London (Inglaterra), junto com sua equipe, sintetizou dois dos quatro nucleotídeos que formam o RNA, sugerindo que a complexa molécula pode ter se formado espontaneamente na Terra primitiva.

Agora, Powner busca sintetizar DNA usando técnicas similares, o que é um desafio e tanto, já que o DNA é formado por nucleotídeos (moléculas específicas) diferentes e com os quais é mais difícil de se trabalhar.

Misteriosa reviravolta

Com base na ideia de que a vida se desenvolveu graças ao RNA, acredita-se que, ao longo de alguns bilhões de anos, os organismos primitivos passaram a “usar” DNA, capaz de armazenar mais informações, o que teria permitido o surgimento de seres mais complexos.

A ideia parece plausível, mas deixa uma pergunta: como organismos menos complexos foram capazes de dar esse “salto”? (Grifo nosso) Mesmo criaturas mais complexas precisam de enzimas especiais e uma quantidade considerável de energia para converter RNA em DNA. Para o químico Christopher Switzer, da Universidade da Califórnia em Riverside (EUA), faz mais sentido que nucleotídeos de DNA já estivessem presentes na Terra primitiva e tenham sido incorporados por organismos. O estudo de Powner pode reforçar essa ideia.

Outra hipótese é a de que havia moléculas híbridas, formadas por nucleotídeos de RNA e DNA, que teriam sido absorvidas por organismos primitivos e gradualmente “purificadas”.

Seja como for, o início da vida [na ciência] permanece cercado de interrogações… por enquanto.

Hype Sacience

Referência:

1. “DNA could have existed long before life itself” (New Scientist, 24 August 2012)

 



Mecânica quântica explica a existência da alma?
03/11/2012, 4:46 PM
Filed under: :::::: PUBLICAÇÕES: A - Z ::::::

Em uma tentativa de inserir na ciência os conceitos de “alma” e “consciência”, os cientistas Stuart Hameroff (diretor do Centro de Estudos da Consciência na Universidade do Arizona, EUA) e Sir Roger Penrose (físico matemático da Universidade de Oxford, Inglaterra) criaram a teoria quântica da consciência, segundo a qual a alma estaria contida em pequenas estruturas (microtúbulos) no interior das células cerebrais.

Eles argumentam que nossa “consciência” não seria fruto da simples interação entre neurônios, mas sim resultado de efeitos quânticos gravitacionais sobre esses microtúbulos – teoria da “redução objetiva orquestrada”. Indo mais longe: a alma seria “parte do universo” e a morte, um “retorno” a ele (conceitos similares aos do Budismo e do Hinduísmo).

De acordo com Hameroff, experiências de quase morte estariam relacionadas com essa natureza da alma e da consciência: quando o coração para de bater e o sangue deixa de circular, os microtúbulos perdem seu estado quântico. “A informação quântica contida neles não é destruída, não pode ser; apenas se distribui e se dissipa pelo universo”.

Se o paciente é trazido da beira da morte, essa informação volta aos microtúbulos. “Se o paciente morre, é possível que a informação quântica possa existir fora do corpo, talvez de modo indefinido, como uma alma”, acrescenta.

Embora a teoria ainda seja considerada bastante controversa na comunidade científica, Hameroff acredita que os avanços no estudo da física quântica estão começando a validá-la: tem sido demonstrado que efeitos quânticos interferem em fenômenos biológicos, como a fotossíntese e a navegação de pássaros.

Vale ressaltar que Hameroff e Penrose desenvolveram sua teoria com base no método científico de experimentação e em estudos feitos por outros cientistas, ao contrário do que ocorrem em casos de “pseudociência” em que simplesmente se acrescenta a física quântica como “ingrediente legitimador” de teorias sem fundo científico. Basta aguardar para ver se outros experimentos e estudos validam as descobertas da dupla.

Hype Science

Referência:

1. “Near-death experiences occur when the soul leaves the nervous system and enters the universe, claim two quantum physics experts” (Daily Mail, 30 de outubro de 2012)